24/12/2014

Livro: Os Restos Mortais

Título: Os Restos Mortais
Autor: Fernando Sabino
Editora: Ática
Ano de Publicação: 1984
Número de Páginas: 64
Minha Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥

"E o corpo lá no quartinho dos fundos, esperando."

Hoje trago Os Restos Mortais de Fernando Sabino. Calma, não é o cadáver do autor, e sim uma de suas obras literárias. Nesse livro, mais uma vez Sabino liga situações do cotidiano ao humor e ao mistério, principalmente porque num dia como outro qualquer a rotina é quebrada por um acontecimento dito como "anormal", que gera uma bola de neve de consequências que divertem o leitor. Em Os Restos Mortais, Sabino trabalha muito com o medo e a angústia dos personagens, diante de uma problemática, que deixa o leitor cada vez mais curioso em saber o que virá na página seguinte.

A historinha, contada em apenas 64 páginas, é narrada em primeira pessoa pelo Dr. Laerte, médico renomado, que no ano de 1963 se vê em uma horripilante situação. Para tomar conta da casa durante uma viagem, o pai do médico faz questão de trazer um humilde empregado de seu sítio em Betim, de nome Galdino. Laerte não gosta da ideia e, aliás, acha o tal empregado muito esquisito: "um rapaz com olho infeccionado, tracoma (...). Podia ter seus trinta anos, embora o corpo franzino e a roupa velha de cor indefinível lhe dessem aquele ar de bicho sem idade que a pobreza costuma ter" (p. 10-12). 

Embora contrariado, o filho acata a ideia do pai. Contudo, mal o pai parte em viagem, o empregado tem um ataque epiléptico de madrugada. Vai ao médico, é receitado e volta para a casa de seu patrão. Contudo, no dia seguinte, as empregadas ligam desesperadas para Dr. Laerte, informando-lhe sobre a trágica ocorrência: o empregado Galdino estava morto; morrera de madrugada. Isso é apenas o início de um sinistro pesadelo...

Enterrar os restos mortais de Galdino se revela mais difícil do que qualquer um podia imaginar. Problemas com os médicos legistas, com a polícia e, principalmente, com seu próprio pai. O enterro sempre adiado acaba por construir um sinistro tormento, que transfere uma mistura de comédia, medo e curiosidade, fornecidos pelos próprios personagens, uma maré de acontecimentos que só se tranquiliza no fim do livro, para depois finalizar de forma impactante.

Como em A Nudez da Verdade, Fernando Sabino consegue mais uma vez unir mistério, humor, emoção e lirismo, numa narrativa envolvente com uma linguagem simples e um desfecho surpreendente. Eu recomendo, boa leitura!

"Ah, o corpo, meu corpo, que será do corpo?" - Carlos Drummond de Andrade



5 comentários:

Nos diga o que achou:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...