17/01/2012

O Diário de Anne Frank

Livro: O Diário de Anne Frank
Autor: Texto definitivo por Otto H. Frank e Mirjam Pressler
Editora: Record - Edições Best Bolso
Ano: 2007
Número de Páginas: 373

“Espero poder contar tudo a você, como nunca pude contar a ninguém, e espero que você seja uma grande fonte de conforto e ajuda.” Anne Frank, 12 de junho de 1942.
Annelisse Maria Frank nasceu em 12 de junho de 1929. Foi uma adolescente alemã de origem judaica, vítima do holocausto, que morreu no campo de concentração Bergen-Belsen, três meses antes de completar 16 anos.

Entre 12 de junho de 1942 a 1º de agosto de 1944, a jovem Anne Feank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. Anne e sua família, após ficarem sabendo das ameaças contra os judeus e que poderiam ser expulsos do país, se escondem num anexo do sótão do escritório onde seu pai havia trabalhado.
Escondida com sua família e outros judeus (um total de oito pessoas) em Amsterdã durante a ocupação nazista nos Países Baixos, Anne Frank, com treze anos de idade, conta, em seu diário, a vida com este grupo de pessoas, as brigas com sua mãe por quem não tinha uma grande admiração, como gostava mais do seu pai, que era um homem carinhoso e gentil. Foram anos difíceis, muitos dias em que não podiam fazer um ruído sequer, vivendo num espaço pequeno, sem sol, com comida regrada, sem conforto e até mesmo sem liberdade, aterrorizados pelo medo.

Dois anos após viverem limitados ao Anexo Secreto, Anne, sua família e os outros ocupantes foram encontrados e detidos, sendo levados primeiro para uma prisão em Amsterdã, em seguida para o campo de Westerbork, e deportados para Auschwitz, na Polônia. Anne e sua irmã Margot foram transferidas para Bergen-Belsen, onde ambas morreram devido à epidemia de Tifo, em 1945. Dentre os oito, apenas Otto, o pai de Anne, foi quem sobreviveu aos campos de concentração. Em 1947, Otto Frank decidiu publicar o diário, como a filha desejava fazer em vida.

A força da narrativa de Anne, com impressionantes relatos das atrocidades e horrores cometidos contra os judeus, faz desse livro um precioso documento. Ele destaca sentimentos, aflições e pequenas alegrias de uma vida incomum. Um dos livros mais traduzidos no mundo. “Um dos maiores e mais sábios comentários da guerra e seu impacto no ser humano” (Eleanor Roosevelt). Um retrato de uma menina por trás do mito. Re-co-men-do! Boa leitura!


2 comentários:

  1. Fiquei com vontade de ler!

    ResponderExcluir
  2. Vou Ler, parabéns amei a reportagem e o site :)

    ResponderExcluir

Nos diga o que achou:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...